Nota SBA sobre o INPE


 

 

Nos preocupa a forma como o Estado Brasileiro está, hoje, esvaziando o papel fundamental da ciência e da tecnologia na construção de um país justo e próspero. A nítida desconstrução das Universidades, Institutos e pesquisadores que desenvolvem a ciência e a tecnologia nacionais tem efeito devastador na construção da excelência científica do Brasil e em sua inserção no cenário internacional. 

A Sociedade Brasileira de Automática (SBA) tem o entendimento de que a Nação brasileira é prejudicada quando o discurso e as ações do Estado conduzem a caminhos que desvalorizam a razão, a técnica, o método científico, enfim, quem desenvolve ciência e tecnologia. É necessário que o Estado compreenda o papel da ciência no desenvolvimento da sociedade e de como Universidades, Institutos e pesquisadores são aliados da Nação para a transformação e o desenvolvimento social, tecnológico e econômico do Brasil. É, portanto, necessário para a Nação Brasileira uma política consistente e perene de investimentos públicos no financiamento e fomento da ciência e da tecnologia nas Universidades e Institutos de pesquisa.

Por essas razões a Sociedade Brasileira de Automática (SBA) e seu Conselho Superior endossam a nota da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada (SBMAC) e Computacional (SBC) e repudiam veemente a exoneração do Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) o professor Ricardo Galvão.

Atenciosamente,

Sociedade Brasileira de Automática  - Diretoria e Conselho Superior 

 

NOTA da SBMAC e SBM sobre o INPE

Durante décadas, o Estado Brasileiro criou seus Institutos de Pesquisa, com dedicações específicas. Esses centros visam fomentar o desenvolvimento técnico-científico em áreas consideradas estratégicas, cumprindo missões de Estado. Todos eles foram dotados de um corpo técnico de excelência, permitindo cumprir seus objetivos estratégicos e contribuir para o desenvolvimento da Nação.

Dentre esses institutos, o maior deles é o INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE), criado em 1961, voltado para o desenvolvimento de tecnologia espacial em prol do progresso do Brasil.

Ao longo do tempo, o INPE se consolidou, adquirindo um prestígio internacional, sendo considerado um centro de excelência em suas áreas de atuação.

Dentre essas áreas, a de "Sensoriamento Remoto e Observação da Terra" logo adquiriu alto prestígio, realizando um trabalho de excelência idêntico ao que é empreendido pelos mais respeitados centros internacionais. Em especial, o INPE usa dados obtidos de satélites de "Observação da Terra", incluindo dados originários de satélites desenvolvidos no próprio Instituto, para acompanhar o desmatamento da região amazônica. Os dados são coletados e procedimentos de análise e consolidação são aplicados, obtendo os resultados que são periodicamente divulgados. Esses procedimentos são rastreáveis e obedecem às mesmas metodologias empregadas em outros centros congêneres.

Visando defender o legado científico e tecnológico, desenvolvido com tanto esmero e dedicação ao longo de gerações, e reconhecendo o papel de excelência que o INPE vem fazendo ao cumprir sua missão de Estado, a Diretoria e o Conselho da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) vem a público externar seu total apoio ao INPE, sua equipe técnica-científica e seu Diretor, Prof. Ricardo Galvão, repudiando veementemente as críticas gratuitas e sem embasamento técnico que lhes foram dirigidas.

Destacamos nossa crença, enquanto Sociedades Científicas, que o desenvolvimento da Nação depende de um compromisso de Estado com a Educação e o desenvolvimento científico e tecnológico.

Carlile Lavor (Presidente - SBMAC) e Paolo Piccione (Presidente - SBM).